segunda-feira, 9 de março de 2015

Qualidade do disco de vinil superior à do CD: O porquê disso.


Para termos uma comparação, o melhor disco digital não passa de 48 kHz (SACD, Blue-ray e DVD-A, etc.). E o CD, não passa de 20.050 Khz. Em mídias digitais, vale dizer, CD, DVD-A, o corte é abrupto em 20.050 kHz para o CD e 48 kHz para as mídias de sofware - DVD-A, SACD, etc. E não dizem que o Vinil tem um "ruído de fundo", que prejudica? Estalinhos esporádicos, mesmo num vinil bem conservado? Leiguice. O Vinil, de 7 hz até 500 hertz tem uma relação ruído inferior a do CD, que é de - 88dB SPL, mas cujos graves mais encorpados superam e fazem sumir logo quando começa a música. E a partir dos 500 hertz do espectro sonoro, eles SUPERAM qualquer mídia digital com o alcance da relação sinal-ruído em - 96 dB SPL (SPL = Sound Pressure Level ou nível de pressão sonora) e com a banda frequencial total espetacular de 100 kHz levando em conta os transientes ditos "exagerados" pela australiana, Doutora em Ciências da Computação, Christine Tham. Vejam gráficos belíssimos e vídeos do You Tube demonstrando isso no blog acima mencionado, http://sonsultrassonicosnovinil.blogspot.com onde a questão é muito bem fechada, mais específico e sem necessidade de buscar sites em inglês: O blog é http://sonsultrassonicosnovinil.blogspot.com onde é demonstrado que o Vinil atinge normalmente de 7 hz (média) até 48 kHz, e com freqüências esporádicas ultrassônicas denominadas transientes até 100 kHz, mais ou menos, não há como "fincar" medida exata, podem estes transientes terem  99.056 kHz ou 102 kHz. Obs.: A verdade é escamoteada por certos engenheiros. Este texto prova como eu estava certo e certos inescrupulosos ficam espalhando "engenheirês" falso para confundir quem não é da área e escamotear ou esconder a verdade.

SET YOUR RECORDING LEVEL (Ajustando seu nível de gravação):

"You can find the peak levels by recording sam- ples of the LP during the loudest parts of the music.The meters in SoundTrack Pro are not 100% infallible for this purpose, so you should stop the recording process and examine the waveform in the file to determine the head- room. After fighting to get good sound from 16 bits, (O que é difícil ! ) I am fanatical about achieving only 1dBFS -2dBFS of headroom (Ele reduz os picos de transientes do analógico, o headroom. E o headroom é teto de freqüências, é pico e essas freqüências que ultrapassam fazem uma enorme diferença na dinâmica do som, que é comparável ao contraste de uma imagem) a transfer. I prefer this to leaving more headroom and then amplifying the file in the digital domain, (Prefere "amansar" o sinal na fase analógica da gravação para depois amplificar no domínio digital, porque isso me dá mais resolução. "Amansando" o analógico, se está retirando qualidades, bem entendido, porque vai "clippar".) because this wastes resolution. When you finish a track, you can review the waveform for clipping (Você deve analisar revendo se na onda digitalizada não há clipping, que é a não-ultrapassagem do zero decibel, onde ela é sumariamente cortada pelo software de gravação). SoundTrack Pro and BIAS Peak can each help you with an automated procedure for this. If I have clipping, I reset the level and re-record. (Aqui o cara só corta a ponta da onda que ultrapassou, que clipou!) If your phono cartridge has large dips in its response (Se a sua cápsula tem largos transientes em sua resposta) requiring a peaked equalization in software, you might need to leave... (Você deve abandonar os picos de freqüencia, ou seja, literalmente jogar música fora...) more headroom than I do.

Obs.: Cápsulas de toca-discos não tem uma saída linear e nem por isso distorcem nos seus picos o que fazem da dupla disco de vinil e toca-discos uma dupla imbatível, em graves, médios e agudos.

Nenhum comentário: